30 junho, 2017

O meu namorado faz anos hoje! E eu devia ser uma namorada exemplar com a prenda dele logo pronta para assim que dessem as doze badaladas lhe entregar. 
Mas a verdade é que atrasei-me a encomendar a prenda e a data prevista de chegada é no dia 4 de Julho.



Portanto o meu namorado faz anos hoje e a única prenda que teve minha foi muitos mimos e beijos assim que era meia noite e um. 
Conta para ser uma namorada exemplar não conta?

Sou uma desgraça!!!

29 junho, 2017

Somos todos iguais, mas também somos todos diferentes!

Para quem não sabe a Carolina Deslandes tem um blogue. E para quem não conhece a Carolina Deslandes é cantora, participou numa das milhares edições dos ídolos, e eu gosto bastante dela. Ou melhor gosto das músicas dela e tenho-me vindo a identificar com muitas coisas que escreve.
A Carolina Deslandes teve o seu segundo filho há uns dias atrás, sendo que a diferença entre o primeiro e segundo filho é de apenas 11 meses. 
No dia 26 de Junho de 2017 a Carolina Deslandes  publicou um post onde falava sobre o seu corpo pós-parto e onde publicou uma fotografia do mesmo. Quando vi a publicação dela bati palmas ao seu ato. A forma como ela fala abertamente de como se sente, e como achou por bem expor-se, com imagem, e mostrar que o seu corpo é como é, está como está, mas que não somos todas iguais e como é óbvio o nosso corpo reage de forma diferente a determinadas coisas.

A Carolina depois de ter feito esse post foi abordada por imensas mulheres a comentar a sua imagem atual. Comentar é uma palavra leve tendo em conta o quanto a criticaram.
Ela respondeu no facebook e fez muito bem. Informou todas essas pessoas que teceram comentários acerca da sua imagem, que é seguida por excelentes médicos, é saudável, o seu corpo é que ainda não recuperou de duas gravidezes tão próximas uma da outra.

E eu depois de ver todo este "circo", sem nunca ter sido mãe, e não ter passado por todas as mudanças físicas que uma gravidez implica (quanto mais duas) só consigo pensar que mesmo que uma pessoa não queira dar importância ao que os outros dizem, é difícil, abstrair-nos de comentários que não tem qualquer tipo de cabimento. Neste caso a Carolina é uma figura pública, tem um blogue no qual escreve o que ela bem entende, e publicou nele aquilo que naquele momento queria que fosse lido e visível. É incrível como outras mulheres, algumas delas já mães, conseguem intervir de uma forma tão negativa para com outra mulher e mãe. E o que a mim me parece ainda mais surpreendente é as comparações. Nas caixas de comentários é só ler gente entendida em tudo e mais alguma coisa, a dizer que recuperou a sua forma física passado um mês, e que o facto dela não o ter feito não é normal. Mas o que raio é normal? Lá porque para mim é normal perder peso com imensa facilidade, não quer dizer que todos os outros tenham de ser como eu. Cada um é como é, e desde que a saúde seja respeitada, cada um sabe de si!

Este foi um caso público, mas que me parece ser uma boa forma de combater esta necessidade de avaliação. Toda a gente tem de avaliar se está ou não no caminho certo. Toda a gente tem de opinar sobre a dieta que deve ser feita o quanto antes. Quando uma pessoa, como foi o caso da Carolina, publica uma imagem do seu corpo depois das transformações que ele sofreu não está à espera que avaliem o seu estado. Não está à espera que digam que está linda, ou que está horrível. Para isso ela não recorreria à internet mas sim a especialistas na área da saúde. Ela só está a mostrar que é possível passar a barreira do preconceito, sem que nos tenhamos de esconder até estarmos no objetivo que a sociedade acha que temos de alcançar. Ela tem as suas inseguranças, também as demonstrou no texto que escreveu, mas nem por isso se importaram com isso, Porque foi bem mais fácil olhar para a imagem e começar a destilar crueldade.

Vamos aprender a respeitar os outros, e vamos ser livres de publicar, mostrar e dizer o que quisermos sem ofender ou desrespeitar alguém, porque apesar de sermos todos iguais, também somos todos diferentes. Só temos de aprender a respeitar a pequena grande diferença entre nós.

E parabéns à Carolina pela coragem, e pelo texto fantástico que escreveu!
 

 

28 junho, 2017

Orange is the new black

E é altura de vos falar de mais uma série que acompanho e gosto imenso.
Orange is the new black foi uma verdadeira surpresa para mim. Quando comecei a ver esta série tinha lido algumas críticas na internet e resolvi dar-lhe uma oportunidade. As expectativas estavam perto de zero. Não tinha ficado super entusiasmada com a história, mas depois de ver os primeiros episódios colei e não parei mais de ver. Neste momento está na 5ª temporada e cá estou a ficar acordada até mais tarde para ver um episódio por dia. Sim esta série é da netflix e as temporadas são disponibilizadas completas o que é uma maravilha!


Então, esta série passa-se na sua maioria na prisão feminina de Litchfield, e começa com a história de Piper Chapman que é presa por transportar dinheiro proveniente de tráfico de droga. Piper Chapman aparentemente nada tem de criminosa. É proveniente de boas famílias, e pode-se dizer que pertence a uma classe média-alta de Nova Iorque. À data da sua prisão estava noiva, mas depois de entrar na prisão ela encontra a ex-namorada Alex Vause que a seduziu no mundo do crime e o seu noivado passado algum tempo termina.


27 junho, 2017

Moda que não #5

O meu namorado de vez em quando chama-me esquisita.  Diz que sou esquisita com a comida, que sou esquisita com roupa, com algumas "manias" pancas. Eu até concordo com ele em alguns aspectos, mas em roupa até não acho muito. Pronto, há coisas que não acho piadinha nenhuma, mas no geral até acho que gosto de bastantes coisas. Se calhar até devia gostar de menos coisas, porque a minha carteira agradecia. Mas hoje trago-vos uma tendência que a mim me faz imensa confusão. É que neste caso não é só não gostar, é mesmo fazer-me impressão:


Chinelos de pêlo? A sério? É que olho para estes chinelos e faz-me lembrar chinelos de quarto, mas depois vê-los conjugados com meias é coisa para me tirar o sono! Ora se já era um não a chinelos de pêlo na rua, então chinelos de pêlo na rua com meias é um grande não!!!

Tempo dos doutores.

aqui disse que por hábito do trabalho trato todas as pessoas por você.
Às vezes tenho até dificuldade a tratar por tu como me pedem para o fazer. Mas se há coisa que me faz mesmo muita confusão é tratar as pessoas por Doutor ou Doutora.
É coisa que me deixa encavacada, e até um tanto envergonhada. Primeiro porque eu não sou obrigada a saber as habilitações académicas de cada um. Depois porque mesmo que o sejam doutores ou doutoras não acho que seja uma uma forma de denominação. Atenção, não quero com isto tirar o mérito de quem o é. Todos fizemos os nossos esforços para concluir os nossos cursos e tenho a certeza que o final dos mesmos já é uma recompensa. Não me parece, de todo, é que esta designação seja uma recompensa. Ou pelo menos para mim não é.
Ainda no outro dia, ao telefone pedia para falar com X pessoa. Assim que pensei dizer o nome da pessoa lá coloquei o Dr. atrás não fosse a pessoa ficar ofendida. Sim, porque já me aconteceu pedir para falar com o fulano Y, e me corrigirem do lado de lá que é o Dr. Y. E isto leva-me aos arames! Não tenho que saber quem é ou não Doutor. Aliás isso não me interessa para rigorosamente nada. Se fizer o seu trabalho em condições pode ter a 4ª classe que me é completamente indiferente.

A mim deixa-me envergonhada esta forma de tratamento porque parece que estamos a elevar quem tem cursos superiores. Parece que quem os tem, tem uma forma de tratamento que outros não tem. Até mesmo quando são uns profissionais de m*rda! O respeito deve ser por todos. E para além disso, fica tudo tão formal, tão distante. Gosto de pessoas mais terra a terra. Pessoas que se dão entre si. Que não precisam desses formalismos para conversar abertamente com alguém. Prefiro mil vezes que me tratem por menina (como diariamente sou tratada e gosto!!!) do que doutora!

E este desabafo deve-se, não só a situações habituais de trabalho, mas porque brevemente haverá um encontro que envolve profissionais da minha área e eu não vou. Não vou porque o namorado faz anos e também porque comecei a imaginar todas os diálogos assim: "Então Doutor X como está? Oh Doutora J está tudo bem, e consigo?" e pronto, desisti logo da ideia!


25 junho, 2017

Coisas só dele #9

Ontem à noite fomos ver o filme Transformers-O último Cavaleiro. Quem me conhece sabe que não é de todo o meu género de filmes. Mas o namorado gosta e como já o arrastei para o cinema para ver filmes que também não eram do género dele, lá tive de ceder (só de vez em quando)!
Pois correu tudo bem, o filme era dentro do esperado, ainda teve algumas partes que me fizeram rir, mas quando chegou ao intervalo, estávamos a conversar sobre aquela primeira parte, e eu em jeito de brincadeira estava-lhe a dizer, que lá estava eu, numa sala de cinema a ver um filme que não acho lá muita graça. Tudo por ele! Coisas que faço por ele. Aquele discurso assim para o lamechas, só para reforçar a ideia de que sou uma excelente namorada!!!
Disse-lhe ainda que ele devia era conquistar-me a cada dia, e por isso devia levar-me a ver a comédias românticas, que tivessem cenas de pôr o bracinho sobre o meu ombro, ou de me dar a mão sorrateiramente. Ele riu-se e não deu grande andamento à conversa.

A segunda parte começou e já mais para o final há uma cena de um beijo apaixonado entre os protagonistas. E o que é que ele faz? Aproxima-se e dá-me um beijo!!! Eu até nem liguei muito aquilo, até que ele me diz:
- Estás a ver? Na parte romântica do filme também te dou um beijo. É para veres como estou atento ao que me dizes!


MORRI!
O meu namorado não só conseguiu arranjar uma parte romântica no filme Transformers (isso é possível?) como ainda confirmei que está mais atento do que parece ao que lhe digo. E por isso mesmo, sabendo que ele de vez em quando passa aqui pelo blogue, fica a dica de que namorado que quer conquistar a sua namorada todos os dias preocupa-se com o bem estar dela, e com a sua sanidade mental. Como nos últimos tempos tenho andado assim, estava na hora de ele tomar as rédeas e marcar umas férias fantásticas para nós os dois!!!

24 junho, 2017

Só a mim!


Sabemos que estamos a precisar de férias quando a meio do nosso trabalho nos lembramos que temos de entregar uns documentos semi importantes ao nosso pai à hora do almoço e chegamos a casa e esses documentos desapareceram.

Na nossa mente esses documentos vieram na nossa mão mas, como estavam juntos com o casaco provavelmente caíram no meio da rua enquanto me dirigia para o carro. Ou então à porta do carro. Ou à porta do escritório. Ou mesmo à saída da porta interior, o que indicaria que estavam no corredor que só nós usamos. 

No meio de tantas dúvidas almoça-se a correr, e voa-se novamente até ao escritório na esperança de que os documentos estivessem caídos na porta interior do escritório ou na da rua porque associariam aqueles documentos ao nosso trabalho/escritório. Mas se os documentos estão caídos na rua então com certeza não será fácil descobri-los, e pior quando há alguma urgência nos mesmos.

 Constata-se que na rua não estão, na porta interior também não e só pro descargo de consciência dá-se uma espreitadela para dentro do escritório. E mesmo de luz apagada (porque o escritório era o último lugar a procurar) é possível verificar que os documentos estão nada mais nada menos que pousados em cima da secretária. Portanto, os documentos nunca saíram daquele lugar. 

WTF? 

A juntar a isto já liguei para pessoas que como não atendiam, retomavam a chamada num curto espaço de tempo, e quando me perguntavam o que pretendia eu já não sabia o que era. E ainda uma ida ao continente que enquanto falava ao telemóvel com o namorado ele me perguntava o que é que eu lá tinha ido fazer, e respondi assim numa resposta meia sem certezas que tinha ido ver alguma coisa para jantar. Mas ao mesmo tempo que dizia isto sentia que não era isso que lá tinha ido fazer. E até o expressei em voz alta enquanto falava com ele. Até que levantei o olhar e deparei-me com a worten e lembrei-me que eu só lá tinha ido porque o telefone de casa da minha mãe, que estava avariado, já estava pronto a ser levantado. 

Ora então, ou férias, ou internamento certo?


Ah e entretanto lembrei-me que também esta semana depois de falar com o meu pai no local de trabalho dele e do meu irmão ao sair para me dirigir ao meu carro, abro a porta, já estou com uma perna lá dentro e apercebo-me que aquele carro é ligeiramente mais baixo que o meu. Olhando bem aquele carro nem parecia o meu! Pois... Não era! Era o do meu irmão! Ri-me sozinha da situação, aparentando ser mais maluca ainda!!!!

23 junho, 2017

Saga do casamento - Capítulo II

Como já vos tinha dito no mês de Agosto vou ter um casamento de uma amiga de infância. E se na altura em que soube comecei logo a dar uma vista de olhos nas lojas online, e até cheguei a fazer um post com sugestões aqui, agora que se aproxima a data não ando nada para aí virada.
Aliás só de pensar que tenho de andar de loja em loja à procura duma roupa específica até começo a sentir fraqueza! Não sei o que quero vestir. Não sei se quero um vestido, se quero um top e uma saia, se quero um macacão,... Não faço ideia do que me apetece usar nesta cerimónia, e nem tenho vontade sequer de pensar nisso! Estão a ver o problema que isto é? Ainda falta algum tempo para o casamento, eu sei. Mas se continuar com esta vontade tão cedo não entro em qualquer loja com esse propósito, e depois vou deixar para os últimos dias, e vou andar stressada, e ninguém me vai aturar porque não vou encontrar nada para vestir, e pronto! Já estão a imaginar o drama não estão?!
Por isso quando vejo algum post com dicas para o que vestir em cerimónias abro logo com a  esperança de encontrar ali a minha salvação. Mas até agora nada!!! 
Por enquanto tenho-me obrigado a passar pelas lojas online e dar uma vista de olhos  na roupa de cerimónia só por descargo de consciência.
Ficam aqui algumas ideias de vestidos:

1- H&M 59,99€
  2- KAOÂ 100,00€
 


3- ASOS 79,99€         4- ASOS 67,99€             5-ASOS 116,99€         


 



6- The bulldog store                7- The bulldog store            8- The bulldog store                

 Os meus favoritos são o número 4 da Asos e o número 6 da The bulldog store! Desta última loja não sei os preços, mas estou muito tentada em contactar a loja para perguntar o preço do número 6 porque gostei imenso deste vestido! Aquele decote tinha de ser arranjado tapado, mas de tudo o que vi é dos que mais me agradou! Este mesmo modelo também existe em cinzento, o que também não me parece nada má ideia para podermos aplicar uns apontamentos de cor!


Quem tem cerimónias este ano já tem a indumentária escolhida? Ou estão como eu, numa preguiça clara, à espera que a roupa vos venha bater à porta?

19 junho, 2017

Tão baixo.

E com notícias tão tristes que nos tem chegado de todas as formas e feitios, vemos isto:

Foto retirada daqui

Isto não é trabalho, não é profissionalismo, não é ética. Isto não é nada! 
Não fui eu que tirei a foto porque assim que vi esta imagem fiz questão de mudar de canal. Como é possível que num momento de aflição, de tragédia, de inferno haja jornalistas a fazer uma m*rda destas?? É através da comunicação social que nos chegam as notícias desta tragédia. É através da comunicação social que ficamos com o coração bem pequenininho a assistir a testemunhos de quem viveu (e vive) este inferno.  É através da comunicação social que sabemos se este maldito fogo está a ser ou não controlado. Mas não queremos que chegue através da comunicação social imagens como esta. É de uma tremenda falta de respeito para quem está a viver isto em primeira pessoa. Aliás é uma falta de respeito para com a vida humana. Para com qualquer um de nós.
Por favor informem, sejam úteis, criem forma de talvez ajudar aqueles que não encontram familiares, ou amigos desaparecidos. Mas não façam este trabalho sujo. Porque isto não é nada!!!

18 junho, 2017

Do dia de ontem.

Uma pessoa sai de casa já com planos. O calor abrasador lá fora não foi suficiente para nos demover de visitar pela primeira vez a segunda edição do Porto beer fest! Estava mesmo um calor infernal. Procuramos sombras, tentamos aproveitar toda a brisa que corria, até anoitecer e as temperaturas estarem bem mais agradáveis.
Assim se passou em boa companhia um dia que prometia (e foi) ser de temperaturas elevadas.

E quando às 2 da manhã chego a casa levo um murro no estômago com as notícias que chegam de Pedrógão Grande.
Um incêndio devastador que levou a vida a imensas pessoas. O número não pára de aumentar e uma pessoa a acompanhar estas notícias sente-se de mãos e pés atados.
Que este inferno termine rápido e que não haja mais vítimas. Que os nossos bombeiros estejam protegidos neste combate e que os habitantes desta terra possam dormir descansados. Se bem que depois de todo este terror tenho a certeza que poucos serão os que conseguirão descansar. O fogo consumiu não só a terra mas as pessoas também.

14 junho, 2017

É sexta-feira!

Foi o pensamento com que acordei hoje, mantive até agora e tenho a certeza que quando chegarem as 18h00 é assim que vou comemorar:


09 junho, 2017

Lavar ou não lavar eis a questão!

Digam-me lá:
Sou só eu que quando compro qualquer peça de roupa, por muita vontade que tenha em usá-la, a mesma tem de ir primeiro para lavar e só depois é que a vou estrear?
É que eu só excluo casacos (sobretudos, casacos de pele ou imitação, etc), ou eventualmente uma camisola que compre por estar com frio e ter mesmo de a usar na hora.

Farto-me de ver pessoas a comprar peças de roupa e a usá-las logo no dia seguinte sem as terem lavado. Não tenciono condenar ninguém, mas é ver blusas cheias de base, marcas de desodorizante em camisas, e tudo isso se não for lavado vai estar em contacto com a nossa pele. Não me parece muito higiénico, mas também sei que não é por aí que alguém morre (para não acharem que eu sou maníaca com estas coisas - porque não sou mesmo!).

Ainda assim, vocês lavam a roupa assim que a compram ou a vontade de estrear peças novas fala mais alto?

 

08 junho, 2017

Sabemos que a nossa mãe não confia em nós para cozinhar...

...quando a informamos que tencionamos fazer sopa nesse dia à noite, e ela aconselha a fazer sopa de feijão verde porque lhe deram imensos caseiros e são muito bons. E uma pessoa aceita, claro! Passa no final do dia em casa da mãe para levantar a encomenda e depara-se com:

Uma bacia com batata, cebola, alho, cenoura e feijão verde! Tudo descascado, lavado e cortado, pronto a chegar a casa e pôr na panela a cozer!

Já vos disse que não tenho jeito para a cozinha?!
Abençoada mãe a minha!

05 junho, 2017

Isto de ser pobre é muito chato!!!

Já não temos férias assim de verdadeiro descanso há 2 anos! E este ano vamos pelo mesmo caminho.
Ontem passamos horas a ver destinos de férias para este ano. O problema é que quando temos os tostões contados tudo se complica. Para além disso, isto já devia ter sido tratado há muito tempo. Mas o meu namorado é sempre um deixa andar nestes assuntos, e claro que agora é tudo muito mais caro.

Até há uns tempos atrás, pensar em férias tanto para mim como para ele, era sinónimo de descoberta, de cidade, de turismo urbano. Somos muito mais desse género de destinos do que propriamente de praia. Mas o cansaço já é tanto, já são tantos meses sem férias em condições que sinceramente cedemos os dois, e o ideal era mesmo um destino de praia, sem nada marcado, sem grandes aventuras. Era só mesmo sol, bom tempo, água (de preferência quentinha), roupa de verão e chinelos e já ficamos os dois bastante felizes.

Mas, não chegamos a nenhuma conclusão.  Ou porque a época não é a ideal. Ou porque já fica muito caro. Ou porque não há alojamentos que nos agradem. Enfim...  Tudo do contra. Sinceramente o cansaço já é tanto que acabamos sempre por desistir sem ficar com nada decidido. Mais uma vez não decidimos nada, e daqui a pouco entramos de férias, e ficamos sem destino.

Por isso, gostava imenso de colocar aqui uma foto de um destino paradisíaco com a descrição:"Próximo destino", mas infelizmente acho que este ano ainda não vai ser O ano!!!

E vocês já tem férias marcadas? Qual é o destino? Contem-me tudo, que eu não sou nada invejosa, e até acho que fico um bocadinho feliz com a vossa felicidade ;)


02 junho, 2017

Você ou tu?

Quando era aos nova nem pensava muto no assunto, mas desde que comecei a trabalhar tornou-se impossível tratar alguém por tu. Mesmo quando até são pessoas mais novas que eu. Não consigo.

A minha mãe desde sempre tratou os meus amigos e os amigos do meu irmão por você. Não percebia bem isso. Eu dizia-lhe que todos tinham idade para ser filhos dela, mas ela sempre disse que enquanto não houvesse à vontade suficiente não conseguia tratar ninguém por tu.

E eu fiquei igual. Como no trabalho é uma situação recorrente, usar o você, não consigo tratar ninguém por tu. 
Ainda há uns dias tive dois casos de clientes que em jeito de brincadeira disseram que não eram velhos por isso devia tratá-los por tu. Sabem quantas vezes os tratei por tu???? Zero! Em nenhum momento consegui. Já estou tão programada para não usar o tu, a segunda pessoa do singular, que mesmo que me peçam aquilo já saí naturalmente.

Sou a única assim, ou por aí também tem o você já programado?

01 junho, 2017

Fónix!

Quando chegam a casa com a sensação de dever cumprido! Está tudo feito/concluído e posdem finalmente descansar. Mas ao mesmo tempo parece que há ali qualquer coisa que não vos deixa descansar. (Eu, ontem!)
No dia seguinte dão uma volta ao escritório só para ter a certeza que ficou mesmo tudo ok, e descobrem que um IRS não foi submetido dentro do prazo!


Neste momento nem tenho a certeza se estou a respirar!