07 março, 2017

Episódio.

Hoje de manhã quando estava a caminho do trabalho, estava a ouvir o António Raminhos na sua rubrica na RFM, "As Marias". Não acompanhei desde o início, porque ando sempre a saltitar de rádio, mas fui apanhando umas coisas ou outras, e apercebi-me que estavam a falar de peripécias que os ouvintes contaram que fizeram na sua infância.
Algumas mais estranhas que outras mas lá fui esboçando um sorriso cada vez que ouvia estas histórias! Até que dei por mim a soltar uma gargalhada por me lembrar de uma peripécia minha! Só que esta não aconteceu na minha infância. Foi há relativamente pouco tempo até.

Tinha eu terminado a minha licenciatura, mas estava a fazer o estágio para integrar a minha ordem profissional. Como tive um período de aulas, ia conciliando esse tempo com estágio prático não remunerado. Os planos que tinha na altura era manter-me por aquela cidade (que tão bem me acolheu) e por isso resolvi pôr as mãos à obra, e fui distribuir o meu currículo.
Num desses dias em que andei "porta a porta", já bastante desanimada por ver como estava o mundo do trabalho, resolvi ir a um escritório que se localizava no terceiro andar, de um edifício situado numa zona histórica. Para além de não ter elevador, as escadas eram antigas, de madeira, e alguns degraus eram mesmo muito finos.
Estava um dia de calor, e eu andava de sandálias rasas, uma vez que andava a caminhar pela cidade toda. Assim, subi as escadas, encontrei o escritório, entreguei o currículo, estive um bocadinho à conversa sobre a nossa ordem profissional e o seu futuro, e mais uma vez saí, sem nenhuma ilusão de que fosse ali que estava o meu primeiro emprego. Enquanto descia resolvi pegar já nos meus óculos de sol que tinha guardado quando entrei, e coloquei-os na cabeça, para assim que saísse do prédio os colocasse no sítio certo! Ora desci um lance de escadas, tudo bem, até que no segundo lance, o degrau que era tão fino, só a pontinha o do meu calcanhar é que chegou a tocar nele, porque depois, todo o meu corpo ficou a sentir os degraus. Caí! E contei o segundo lance de escadas todo, a rebolar nele!



As escadas como eram de madeira, fizeram um estrondo assim que eu caí sobre elas, e alarmou todo o prédio. Ora quem lá trabalhava, saiu e foi verificar se estava tudo ok.
E lá estava eu, deitada, furiosa, a rezar para que ninguém me visse estendida nas escadas. Levantei-me o mais rápido que consegui, e com a certeza do que estava a pisar, tentei descer as escadas o mais rápido possível, porque eu só queria sair do maldito prédio e nunca mais lá pôr os pés!
 Uma senhora ainda me perguntou se estava tudo bem. Eu respondi que sim, sem olhar para ela, e fugi!

Quando cheguei à rua nem quis acreditar no que me tinha acontecido. Mas também não estava com interesse em pensar muito no assunto, e muito menos ali, à porta de onde tudo tinha acontecido. Só quis estar em casa o mais rápido que conseguisse...

Pois, mas lembram-se dos óculos?! Aqueles que me faziam falta assim que saísse à rua, porque estava um super dia de sol? Não estavam na minha cabeça. Pois não. Estavam nas malditas escadas onde tinha acabado de me estatelar toda.

Andei às voltas na rua a pensar se deveria voltar lá ou não. 
Voltei. Claro que voltei! Os óculos não tinham sido nada baratos, eu gostava muito deles, e não estava disposta, no mesmo dia a cair numas escadas públicas e a ficar sem os meus óculos de sol.
Entrei no prédio, subi as malditas escadas, apanhei os meus óculos de sol que lá estavam caídos e saí, sem ninguém me pôr a vista em cima, e sem eu ter caído novamente!

Agora que me lembro deste episódio só me rio! Mas na altura o meu dia ficou completamente estragado. Fiquei com um humor, que ninguém podia sequer falar para mim... Fora a dor no corpo que tinha!!!

 

5 comentários:

  1. Opà, temos com cada história...ja me ri com o teu episódio, quase identico a um que tive....agora rimos mas na altura do acontecimento não dà vontade nenhuma de rir.beijinho

    ResponderEliminar
  2. Que situação querida x) Eu sou muito propensa a quedas, por isso compreendo-te xD

    THE PINK ELEPHANT SHOE // INSTAGRAM //

    ResponderEliminar
  3. Nunca caí numas escadas mas tenho tendência a tropeçar em sítios públicos e cheios de gente!!!

    ResponderEliminar
  4. Eu não posso ver ninguém a cair nem sequer a contar uma peripécia destas sem me dar logo vontade de rir às gargalhadas. Nem que seja eu própria a vítima! :-D

    ResponderEliminar
  5. Como te entendo :). Normalmente passo por isso quando estão mil pessoas à minha volta, não é bonito de se ver :)

    ResponderEliminar