03 fevereiro, 2017

É de ficar com os nervos em franja!

Há certas pessoas que são tão complicadas, que fazem com que simples trabalhos se tornem uma verdadeira aventura.
Às vezes preciso de uma paciência do tamanho do planeta para conseguir explicar certas coisas a clientes, que simplesmente não querem entender por sua conveniência.
Vejamos um caso prático, e digam-me se isto não é de levar as mãos à cabeça.
O senhor dirige-se até aos meus serviços para efetuar um projeto. Não  importa de quê, simplesmente candidata-se a uma ajuda de investimento.
Ora o projeto é elaborado, e pela elaboração e submissão é cobrado um valor. O senhor paga e não faz qualquer comentário. Mas é informado que assim que tiver o processo concluído tem de voltar a passar lá para elaborarmos o pedido de pagamento, ou seja, efetuarmos o formulário para ele efetivamente receber o dinheiro. Sendo que assim que fizermos esse formulário, o nosso trabalho está concluído e ele efetua o pagamento final de x% referente ao valor que irá receber, e que é mencionado nesse mesmo formulário. Estas condições são aceites, e quando chega à dita finalização do processo é feito tal e qual o descrito, e o senhor sente-se indignado porque paga antes de receber qualquer valor.
Ora vamos lá ver se nos entendemos. Estas condições não foram inventadas a meio do jogo. As mesmas foram explicadas no início da candidatura ao cliente e ele aceitou. Além do mais, se não procedesse desta forma eu nunca iria ver o pagamento. Porque as ajudas que eles recebem são efetuadas diretamente para a conta do próprio. Eu só tenho acesso à data do pagamento, mas só depois de ele ter sido feito. Se essa pessoa nunca mais aparecer ao meu escritório, nem me atender o telefone como iria eu cobrar esse valor? A não ser por via judicial com certeza nunca mais teria acesso ao dinheiro que me devia pelo meu trabalho. Sim porque este processo não se faz sozinho. Se se fizesse o cliente não teria de recorrer aos meus serviços. E eu não trabalho de graça. Ora se tive de perder tempo, a elaborar um candidatura, bem como o seu pedido de pagamento tenho direito à minha remuneração. E essa mesma remuneração foi-lhe devidamente explicada para saber se ele manteria o interesse em fazer o trabalho.

Pois bem, nestes dias tive o cliente indignado, por ter de pagar antes de ter recebido. Expliquei novamente todo o funcionamento do processo, e relembrei-lhe que isto já lhe tinha sido explicado e que ele tinha aceite. Mas mesmo assim, ele mantém a ideia de que ele pagou antes de saber que ia receber. O que não está correto porque no pedido de pagamento elaborado informa que a candidatura foi aprovada, bem como, os valores que irá receber. Mas se não há prazo certo para pagamento eu já não tenho nada que ver com isso.  Ele já sabia que teria que esperar ainda um bom tempo  para efetivamente receber as ajudas a que se estava a candidatar.


Isto tudo para informar que, qualquer profissão que tenha que lidar diretamente com o cliente deve ter algumas chatices similares a estas, mas quem trata de candidaturas a fundos e ajudas tem um trabalho redobrado, porque quando se fala de dinheiro . . . Oh senhores! Quando se fala em dinheiro, todos deitam as garras de fora, e viram-se para cima de nós como se nós fossemos a entidade que efetua o pagamento!!! Mas não somos. Simplesmente os candidatamos. E eu não admito que depois do meu trabalho estar feito, e bem feito, com a candidatura aprovada, e pedido de pagamento efetuado, me venham dizer que não acham bem pagar sem antes receber. Lamento mas não trabalho em função dos prazos de pagamento. Também eu tenho contas para pagar, e faço-o segundo as condições que me foram apresentadas.E nem por isso vou para lá dizer que ainda não me pagaram para eu efetuar os meus pagamentos. Tenham um bocadinho de dó!

Agora vou só ali dizer uma quantidade enorme de palavrões, e arrancar alguns cabelos, para ver se me acalmo de aturar gente mesquinha como esta!

  

7 comentários:

  1. Tudo que envolve dinheiro tem sempre estas complicações. Respira fundo que isso passa (:

    ResponderEliminar
  2. Não sei se não percebem ou se fazem que não percebem... haja paciência...
    Beijinho
    http://asreceitasdamaegalinha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. É tão complicado trabalhar no atendimento, seja em que área for, as pessoas só se interessam pelo que lhes convém!

    ResponderEliminar
  4. É como tu dizes querida, qualquer trabalho em que se tenha de ligar com o público é um caos!

    THE PINK ELEPHANT SHOE // SORTEIO DE UM PERFUME ‘BLUE WONDERS’ NO FACEBOOK //

    ResponderEliminar
  5. É sempre assim. Quando mete dinheiro ao barulho, dá sempre nisso.

    ResponderEliminar
  6. É sempre muito complicado...

    http://comeonshine.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. A malta de hoje em dia está sempre em stress e não sabe ouvir.

    ResponderEliminar