20 novembro, 2016

Carta aberta . . . a ele!

Sabes aquela sensação que não passa? Aquela que nos deixa nas nuvens e que não te quer trazer à terra? Aquela que nos faz pôr a mão no peito e ter a certeza que o coração não vai sair disparado?
Aquele nervoso miudinho que desaparece assim que nos vemos?

Aquilo que sinto passados já alguns anos, assim que te vejo ou que estou perto de ti. Parece que foi ontem que nos conhecemos e que no fundo não sabíamos nada um do outro. Não somos personagens daquelas histórias desde a infância e depois vivem felizes para sempre. Conhecemo-nos não há muito, mas ambos sabemos que é o suficiente para seguirmos juntos. Não sabíamos do passado um do outro e não fizemos questão de o aprofundar, porque o que já lá vai pouco importa. O que gostamos fomos revelando aos poucos, até porque é bom manter algum suspense. O que não gostamos revelamos de uma vez, afinal o ideal é colocar desde cedo os pontos nos is. E o resto fomos aprendendo juntos, a crescer, a amadurecer, e a sonhar.

Porque sonhar sozinho não é a mesma coisa que sonhar acompanhado, e acompanhado de quem nos é muito!

A vida guardou-nos obstáculos, mas também muitas alegrias, e durante estes anos já conto muitas a teu lado. Muitas que me fazem querer ainda mais! E isso... Isso é o essencial, querer ainda mais! Haver vontade para manter e continuar. E vontade eu tenho muita. E sei que também tens, senão não estavas ao meu lado a apoiar-me, incentivar-me e a compreender-me. Compreender-me acho que é a tua tarefa mais difícil! Aquela que te dá mais trabalho e menos descanso. A minha também não é fácil não penses, mas tu ficaste com essa batata quente, porque melhor que tu, eu conheço-me. 

Ainda assim estamos juntos, e vamos de mãos dadas fazer os trilhos da vida sejam eles fáceis ou difíceis. Porque isso não é importante. O importante é ter-te ao meu lado para os fazer!



2 comentários: